Julian fatura na França e Medina Assume a Liderança

Julian Wilson é o grande vencedor da etapa francesa do CT. Gabriel Medina assume liderança do ranking.

Julian Wilson comemora na França

WSL / Poullenot

Julian Wilson comemora na França.


O australiano Julian Wilson é o grande vencedor do Quiksilver Pro France 2018, encerrado nesta sexta-feira em Hossegor. O swell previsto de Oeste / Noroeste encostou e a prova voltou pra água com as fases decisivas, em ondas com até 1,5 metros nas séries da praia de Culs Nus. Ele quebrou a sequência de vitórias brasileiras na temporada 2018, ao repetir seu próprio feito da primeira etapa do ano, quando venceu a prova da Gold Coast, Austrália.


Na final do evento francês, Julian venceu seu compatriota Ryan Callinan por 15.34 a 14.23 pontos, com uma virada conquistada nos últimos minutos. Terceiro colocado do ranking da temporada, Wilson ainda diminui sua diferença de pontos para o segundo colocado, Filipe Toledo, e mostrou que está vivo na disputa pelo título mundial.


“Fazer a final com o Ryan Callinan foi incrível. Adorei surfar contra o Gabriel Medina também e quero dedicar essa vitória ao Pierre Agnes, um grande ser humano que todos amam. Tenho muito a agradecer e tive que fazer o meu jogo aéreo para derrotar o Ryan na final. Perdi minha primeira final aqui contra o Medina e fiquei desapontado na ocasião, mas este ano finalmente aconteceu de eu vencer. Sempre sonhei em ganhar este evento aqui na França”, declarou Julian Wilson após a vitória.


WSL / Poullenot

Julian Wilson aposta tudo nos aéreos e arranca nota 10 unânime dos juízes.


WSL / Poullenot

Ryan Callinan compete como convidado e rouba a cena.


Callinan competiu como wildcard do evento e com uma excelente campanha, do início ao fim, derrubou grandes nomes do Circuito Mundial, além de confirmar sua excelente fase ao conquistar o vice-campeonato desta etapa. Há duas semanas, ele já havia vencido a importante etapa de 10 mil pontos da divisão de acesso no QS.


“Isso nem parece real! É como um sonho! Estou muito feliz de estar aqui e fazer parte disso tudo na França. É realmente emocionante! Eu não poderia ter pedido nada melhor. Eu e o Julian nos tornamos bons amigos e fiquei feliz de poder compartilhar este momento tão especial com ele”, comemorou Ryan Callinan.

Gabriel Medina ficou com a terceira colocação no evento, ao ser eliminado pelo australiano Julian Wilson na segunda semifinal do dia. O brasileiro começou forte e com vantagem no confronto, porém viu sua vitória escapar quando o australiano arrancou nota 10 unânime dos juízes com uma grande manobra aérea, que lhe deu a virada.


Medina não deu mole e ainda tentou tudo o que pôde para reassumir a liderança. Investiu forte em todas as ondas que apareceram, computando mais de 15 delas na bateria. Arriscou tudo nas manobras aéreas e chegou a completar até duas em uma mesma esquerda, porém não conseguiu a pontuação necessária e foi derrotado por 16.67 a 15.44 pontos.


“Foi uma boa bateria. As ondas estão bem divertidas e fiz o meu melhor. Apesar do Julian ter conseguido uma nota 10 e a vitória, eu estou feliz com a minha performance e este não deixa de ser outro bom resultado. A França é sempre muito boa para mim. Agora já estou de olho em Portugal e quero conseguir mais um bom resultado por lá. Torço para que tenha boas ondas, bons tubos e boas rampas para aéreos”, disse Gabriel Medina.


Liderança do ranking – Mas antes disso, Gabriel assumiu a liderança do ranking do Circuito Mundial, ao vencer o havaiano Sebastian Zietz nas quartas de final. Com um aéreo incrível e boa variedade de manobras, Medina comprovou sua intimidade com as ondas francesas, dominou a bateria do início ao fim e não deu qualquer chance ao havaiano, para encerrar o confronto com vitória, por 12.44 a 10.73 pontos.


“Esta vitória me dá ainda mais confiança para as próximas baterias do Tour. Fazia tempo que eu não surfava com a lycra amarela, mas pra mim isso não é o que mais importa agora. Eu também não penso agora em quem serão os meus adversários. Me manterei focado e buscarei sempre as melhores ondas”, comentou Gabriel Medina, que defendia o posto de campeão da etapa francesa.

<