Rei da França

Gabriel Medina vence o Quiksilver Pro France pela terceira vez na carreira e ganha força na briga pelo título mundial.


Gabriel Medina vence o Quiksilver Pro France pela terceira vez na carreira. Foto: © WSL / Masurel.


Pela terceira vez na carreira, Gabriel Medina ficou com o título do Quiksilver Pro France, etapa do Championship Tour disputada no sudoeste francês.

Neste sábado, o Top brasileiro coroou mais uma bela campanha na prova vencendo o havaiano Sebastian Zietz na grande decisão. A final começou sem muitas emoções, com os surfistas caindo da prancha. A primeira nota expressiva veio com Medina, depois de acertar duas batidas de backside e somar 6.67. No decorrer do duelo, Zietz não usou a prioridade em uma boa onda e viu o brasileiro aproveitar a chance com 8.17, deixando-o precisando de uma combinação de notas no total de 14.85. O tempo foi passando e Medina administrou muito bem o placar, dificultando as ações do havaiano, que não conseguiu repetir as belas apresentações das baterias anteriores. Faltando pouco mais de cinco minutos, Medina ampliou ainda mais o placar com 7.83 em uma direita muito atacada. A partir daí, a situação não se alterou no outside e o brasileiro comemorou a sua primeira vitória na elite mundial em 2017. Foi a terceira vez na carreira que ele faturou a prova francesa.

"Estou amarradão! Trabalhei duro antes deste evento e aqui é um lugar especial para mim. Foi um ótimo campeonato, pegamos boas ondas e estou muito feliz. Não estou pensando em título mundial ou ranking, apenas quero ir bem em todo evento. Eu tinha prometido a mim mesmo que teria de vencer um evento este ano e finalmente consegui!", comemorou o brasileiro. "É incrível estar de voltar à França. Eu adoro esse beack break. Tenho ondas assim em casa, então me sinto muito à vontade aqui. A França é sempre legal pra mim. Esta é a minha terceira vitória aqui e isso é irado. Eu me sinto bem em relação à corrida pelo título. Agora é Portugal. Todo mundo começa do zero, então vamos fazer tudo isso novamente, e espero que possa ir bem lá".

Sebastian Zietz fica com o vice. Foto: WSL / Poullenot.

Com o resultado, Medina pulou de oitavo para terceiro lugar no ranking, que agora é liderado pelo havaiano John John Florence, seguido pelo sul-africano Jordy Smith. Autor das maiores pontuações do campeonato, John John não conseguiu deter Medina na semifinal. A bateria entre Gabriel Medina e John John chegou perto de ser reiniciada, mas o havaiano apostou em uma direita e acabou caindo ao tentar um aéreo rodando na junção. Em seguida, o havaiano pegou uma onda intermediária e passou por dentro de um tubo, mas novamente caiu na finalização, dessa vez ao tentar um alley oop. Depois de esperar pacientemente por uma onda mais longa, Medina atacou muito bem uma direita e recebeu 7.83 dos juízes. Minutos depois, o brasileiro acertou um sushi roll incrível de backside e disparou na liderança com 8.57.

John John Florence comete erros cruciais contra Medina e perde na semi. Foto: WSL / Poullenot.

Precisando de uma combinação de notas para reverter a situação, John John Florence diminuiu a diferença com 7.00 pontos, passando a buscar 9.40. Faltando pouco menos de cinco minutos, o havaiano melhorou sua pontuação em uma direita bem surfada, avaliada em 9.00 pontos. A partir daí, atual líder do ranking mundial passou a precisar de 7.40. Mesmo sem a prioridade, Florence tentou virar com um aéreo rodando em uma onda pequena, mas não foi feliz na conclusão da manobra. O tempo foi passando e Medina seguiu administrando a prioridade até a sirene tocar. Desde que começou a disputar a etapa francesa, em 2011, Medina coleciona três vitórias (2011, 2015 e 2017) e dois vice-campeonatos (2013 e 2016). Seus piores resultados na França foram 2012 e 2014, quando terminou em quinto lugar.

Miguel Pupo cai nas quartas de final. Foto: WSL / Poullenot.

Outros brasileiros que chegaram ao último dia do Quiksilver Pro France foram Miguel Pupo e Caio Ibelli. Ibelli foi parado pelo californiano Kolohe Andino, que somou 7.67 e 7.27, contra 6.83 e 5.13 do brazuca. Já Pupo não conseguiu deter o havaiano Sebastian Zietz. Depois de colocar pressão no brasileiro com uma nota 9.00, Zietz aumentou sua vantagem com 6.93, totalizando 15.93 pontos. Pupo também fez uma boa apresentação, mas as notas 7.33 e 6.77 não foram suficientes para impedir a classificação do adversário. Confira mais detalhes em nossas próximas atualizações.

Caio Ibelli termina em nono lugar. Foto: WSL / Poullenot.

Resultado do Quiksilver Pro France 2017 1 Gabriel Medina (BRA) 2 Sebastian Zietz (HAV) 3 Kolohe Andino (EUA) 3 John John Florence (HAV) 5 Miguel Pupo (BRA) 5 Marc Lacomare (FRA) 5 Mick Fanning (AUS) 5 Joel Parkinson (AUS) 9 Caio Ibelli (BRA) 9 Owen Wright (AUS) 9 Joan Duru (FRA) 9 Nat Young (EUA) Ranking atualizado do Championship Tour 2017 1 John John Florence (HAV) 49.900 2 Jordy Smith (AFR) 47.600 3 Gabriel Medina (BRA) 40.750 4 Owen Wright (AUS) 39.850 5 Matt Wilkinson (AUS) 38.200 6 Julian Wilson (AUS) 37.700 7 Adriano de Souza (BRA) 36.600 8 Filipe Toledo (BRA) 34.950 9 Joel Parkinson (AUS) 31.850 10 Kolohe Andino (EUA) 30.000 11 Sebastian Zietz (HAV) 29.750 12 Mick Fanning (AUS) 28.300 13 Frederico Morais (POR) 26.400 14 Adrian Buchan (AUS) 25.250 15 Connor O´Leary (AUS) 25.200 16 Joan Duru (FRA) 23.400 17 Michel Bourez (PLF) 22.450 18 Jeremy Flores (FRA) 21.450 19 Caio Ibelli (BRA) 20.500 20 Bede Durbidge (AUS) 20.200 21 Conner Coffin (EUA) 19.750 22 Wiggolly Dantas (BRA) 18.700 Próximos brasileiros no ranking 23 Italo Ferreira (BRA) 16.450* 25 Ian Gouveia (BRA) 14.250 27 Miguel Pupo (BRA) 14.200 30 Jadson André (BRA) 11.750 * Não disputou três etapas por contusão.


Notícias em Destaque