Em busca da prancha mágica

February 16, 2017

Guga Arruda fala sobre as diferenças entre equipamentos e o que é importante focar na busca da prancha mágica.

 


Retrô? Moderno? Hi-Tech? Performance? Quad? Tri? Epoxy, Poliester, PU, EPS, carbono nas bordas? Testei muito tudo isso nas últimas décadas, tudo pode funcionar, por isso os shapers trabalham com todos os tipos de construção e designs.

 

O funcionamento da prancha vai sempre depender da combinação de muitos fatores como design, peso e flexibilidade, além da posição e tamanho das quilhas. O teste final é na agua.

Se a prancha tiver velocidade e manobrabilidade, se ela facilitar a conclusão das manobras, você vai gostar dela e se sentir à vontade para alcançar e superar os seus limites.

 

Neste video acima, faço a comparação entre duas pranchas de diferentes estilos - uma 55 Mini Fun SK9 de bico redondo, rabeta larga, quad com fibra de carbono nas bordas, representando tudo o que é alternativo, moderno e de certa forma retrô, e uma 511 triquilha, performance, básica do dia dia, atual. 

 

O mais legal é que tive com as duas a mesma sensação de velocidade e soltura, de facilidade de surfar, de magia. Mesmo as pranchas sendo tão diferentes, consegui fazer as mesmas manobras com as duas.

O que realmente importa numa prancha não é o estilo, a escola, o tamanho ou largura, o que importa mesmo é que seja mágica, e geralmente a prancha mágica é leve, com flexibilidade média, solta e veloz.

Seja qual for a sua opção, busque velocidade e facilidade para manobrar e encontre as quilhas que funcionarão para a sua prancha. Boa sorte e boas onda

Please reload

Notícias em Destaque

KLS Safe Surf - Surf Sem Chave

20 Feb 2019

1/5
Please reload

Notícias Recentes
Please reload

Arquivo